BIO

Nascido em Lisboa, começa os seus estudos musicais aos 13 anos de idade e por volta dos 16 anos ingressa na escola de Jazz do Hot Clube de Portugal. No ano seguinte faz uma pausa nos estudos de Jazz e dá início à sua formação clássica em piano, formação musical e composição, no Instituto Gregoriano de Lisboa.

 

Em 1990 frequenta um workshop de Verão em Cascais, dirigido pelo contrabaixista americano Rufus Reid e que conta com nomes como Clark Terry ou Roland Hanna. Este workshop terá sido marcante na renovação do seu interesse pelo Jazz.

 

Em 1993 deixa de vez o Instituto Gregoriano e regressa ao Hot Clube, onde estuda com Pedro Moreira, Carlos Barretto e Mário Laginha. Nesta altura já mantém uma grande atividade profissional em diversas áreas, do Rock ao Jazz. De salientar desta época uma relação duradoura com o Pedro Madaleno Grupo, com a Orquestra dos Sons da Lusofonia, de Carlos Martins, com Paulo Gonzo e em especial com Rui Veloso, com quem toca, com algumas intermitências, de 1995 até 2007.

 

Em 2003, após uma breve passagem como aluno pela Academia de Amadores de Música, a oportunidade de alargar os conhecimentos e conseguir o reconhecimento académico fazem com que se inscreva na licenciatura em Jazz na ESMAE, no Porto, embora se mantenha a viver e a trabalhar na área de Lisboa.

 

Durante o curso frequenta workshops com Aaron Goldberg e Mark Turner, e toca com a Big Band da ESMAE, dirigida por Maria Schneider. Alexandre Diniz foi premiado com a distinção da fundação Eng. António de Almeida, por ser um dos 10 melhores finalistas de 2007 de toda a ESMAE, tendo terminado o seu exame final com 19 valores.

 

Sob o pretexto de reunir um grupo para o acompanhar neste exame final, constitui o Alexandre Diniz Quarteto e compõe algumas das composições que fazem parte do seu disco de estreia, Alba.

 

Actualmente a sua vida profissional divide-se entre ensinar piano e teoria, e trabalhar como músico freelancer nos mais variados projectos, incluindo compor para publicidade, teatro ou cinema, para além obviamente, do seu projecto de música original.